Google+ Badge

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Trocar de médico, não trocar, eis a questão.

Bom dia amoras,
eu hoje vim falar de GOs...claro, minha experiência.
Consulto a quase 4 anos com a Dra. Mirna Ricord, que cuida muito bem de mim, fazendo periodicamente exames para controlar o meu HPV e me puxa as orelhas quando demoro a aparecer.
Ela também é obstetra e então porque não seguir com ela não é?!
Bom, com a onda de muitas e muitas e muitas cesárias no Brasil, ou melhor desnecesárias, uma das primeiras coias que achei importante perguntar a ela era o que ela achava do parto normal, como ela lidava com isso, e eu notei na resposta dela um pouco de rispidez, de apreensão, de sei lá o que...Ela meio que se alterou e falou.
-Eu faço parto normal sem problema nenhum, com analgesia, com anestesia, mas por favor, parto com dor, parto com sofrimento eu não faço, não concordo e acho o fim da picada porque já vi muitas mulheres rejeitarem a criança por ter sofrido o que sofreram para tê-los e eu não gosto disso, não presencio isso, não são todos os partos feitos assim que possuem finais felizes.

Bom, nem preciso dizer que a minha primeira reação foi de querer correr do consultório, fiquei levemente chocada, mas não saí, fui pra casa, comecei a pesquisar, a ler muito, a me empoderar, a me informar, a saber como se dava esse parto que para a doutora parecia tão horripilante e tal, vai vem e descobri através de grupos que existia uma médica aqui na minha cidade que fazia partos de acordo com o que a mãe desejasse, mas sempre hospitalar, ou seja, uma médica que respeite as vontades da mãe e não simplesmente vá colocando no soro, ou dando coisas que a mãe não quer, não pediu, etc...
Esta médica aceita plano, e estava muito muito bem falada entre as pessoas destes grupos, por doulas, etc... MAS de fato mesmo, não via ninguém dizendo como havia sido a experiência de parto com ela.

Liguei, marquei, pensei, vamos lá, vamos ver o que sinto, vamos ver qual é a dela.

1º Consultório mega power plus contramão pra mim.
2º Aqui na minha cidade já está fazendo um calor innnfernal imagina no alto-verão e eu mais barriguda.
3º A médica fica no 2º andar mas a escadaria parece infinita.
4º Sinceramente? Não achei nada de mais e já explico.


Resumindo.
Cheguei ao consultório ela me recebeu, levei minha carteirinha de gestante, todos os meus exames feitos até então, coisa e tal, falei que já vinha fazendo o meu pré-natal com a Mirna, qual não foi o meu espanto ela fala, com a Mirna? Mas a Mirna é uma ótima médica, gosto muito do trabalho dela, inclusive conversamos seguido nos partos, pois usamos os mesmos anestesistas, tal e tal...
Mas aí eu lancei assim, doutora, eu não tenho nada para reclamar da Dra. Mirna, apenas procuro por um parto onde minhas vontades sejam respeitadas, e pelo que conversei com ela, ela disse que não faz parto sem analgesia, sem anestesia...
Aí ela falou, mas fazer o parto comigo não garante que eu não precise usar estas coisas, muitas vezes eu preciso usar, o TP não evolui, a criança está sofrendo e aí eu preciso usar, ou então acontece de eu usar a ocitocina por exemplo e os batimentos da criança baixam, se eu diminuo a ocitocina a mãe não dilata e aí eu fico numa sinuca de dois bicos, e acabo tendo que fazer a cesária....
Ou seja, ela não garante que o parto normal "natural" aconteça de uma forma super mágica como a maioria das mulheres querem...
E mais, falou algo que pra mim não foi novidade, mas é importante ouvir quantas vezes forem preciso para que isso fixe na minha cabeça, falou que a preparação do parto normal com menos intervenções possíveis é muito mais da mãe do que da escolha do médico, vai da mãe, se informar, saber pelo o que vai passar, não sair correndo de medo na primeira contração, se estourar a bolsa não sair correndo para o hospital, vai da mãe fazer exercícios que ajudem a dilatar, ter uma bola de pilates pra rebolar, fazer curso de parto, marido aprender a fazer massagens que ajudem a mulher a relaxar, ter um chuveiro quente, e disse que uma doula ajuda muiiiiito muito, que todas as gestantes deveriam ter uma doula, pois ajuda demais e por fim ir ao hospital, com a certeza de que tudo foi feito para que um lindo parto aconteça e se não acontecer paciência, ao menos foi esperado até onde deu para que o bebê viesse ao mundo na sua hora.
Para partos a partir de 2015, ela estará cobrando uma taxa de 1.000 de disponibilidade, feliz de quem conseguiu ter o parto com ela totalmente pelo plano.

O que dizer a vocês? Deixei marcado lá com ela para final de fevereiro, pois dezembro tá aí, janeiro ela está de férias...até lá posso pensar e em quanto isso vou na Mirna, mas agora, será que troco?
Acho que vou tentar ter uma conversa na boa com a Mirna sabem?! Poxa a médica humanizada da cidade falou super bem dela, porque trocar?
Vou tentar um diálogo, perguntar se podemos tentar sem analgesia, sem anestesia e aí se eu não aguentar ela coloca uai....
Mas tudo vai depender das próximas consultas pra que eu tenha uma decisão final...

Por hoje é isso...

Beijos baby e  eu!
    

12 comentários:

  1. Complicado isso né Fê!

    Sabe que ainda nem falei de parto com minha médica, assunto será abordado na próxima consulta.
    Porém pelo que estava pesquisando, nos dois hospitais que estou pensando em ter, eles não marcam cesárea (ufá), somente se for gravidez de risco...normalmente após as 38 semanas a GO passa uma carta para o hospital e começo a fazer um acompanhamento alguns dias da semana para ver a evolução (dilatação, faz cadiodoto, etc.), que a prioridade é o parto normal (que assim seja!), mas ainda preciso pesquisar mais, porém tenho em mente que parto humanizado é bem mais complicado conseguir...

    ResponderExcluir
  2. Mto complicada esta parte do parto...e por coincidência estou com um post no rascunho sobre o parto do meu filho...
    To contando toda minha experiencia na gravidez dele e o parto nao vai ficar de fora...rsrs

    bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho sua ideia de conversar com a medica mto boa...ela pode mto bem tentar sem anestesia e se vc quiser e achar necessário ela aplica...
      bjo

      Excluir
  3. Fê eu mudei de médico com 35 semanas de gestação e foi a melhor coisa que fiz.
    Apesar de sair de um que só fazia cesária e ir para outro que também, o que me motivou a mudar foi o acolhimento.
    Nunca, em tempo algum, houve falta de acolhimento no segundo médico.
    E fez muita diferença!! Ele jamais se comportou como dono da verdade, dono das minhas ações ou algo assim.

    Eu acredito que você ainda tem tempo de procurar. Ver enfermeiras obstétricas, médicos cidades próximas e coisas assim.

    Fica firme, você vai encontrar. Bjs

    ResponderExcluir
  4. Fê, que situação complicada... O que eu aprendi pesquisando muito é que depende da mãe se empoderar, sim, mas também depende da equipe respeitar os desejos e etc...
    Bom, boa sorte! Converse com sua médica antiga sim, abertamente - se você for super franca com ela, quem sabe ela não é com você e acaba concordando?
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  5. No seu lugar teria uma conversa franca com a médica que já está te acompanhando e quem sabe ela não aceita a sua decisão numa boa. Caso ela não mude de postura não vejo problema nenhum em vc mudar de obstetra. O ideal é que vc seja assistida em seu parto por alguém que atenda as necessidades suas e do seu bebê!!!! E não por alguém que queira te impor um procedimento que contrarie a sua vontade sem uma verdadeira necessidade!!!! Bjos!!!!

    ResponderExcluir
  6. Fê, imagino o seu dilema, pois estaria com a mesma indagação. Ainda não decidi sobre parto, mas acho que se eu escolher normal será muito difícil aqui em Salvador, encontrar alguém que faça pelo plano. Talvez tenha que recorrer ao plantonista do hospital no dia...que dilema!!!

    http://projetonossobebe.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Que duvida cruel, mas eu acho que você deve escolher a que o seu coração se sentir mais seguro. Que Deus te dê a luz para decidir.

    Bejs ♡
    decidisermamae.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Nossa q situação difícil meu deus !!!! Concordo com a Ly tenha uma conversa franca com a dr. Mirna quem sabe ela muda de ideia?!


    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Ai médico é um negocio sério... Tem que bater o santo sabe?
    Penso que se você pretende pagar taxa de disponibilidade vale a pena investir em um médico que vai querer ir até o limite para um PN, mas se for ter com o plantonista (como eu) fique com o médico mais próximo e que te acompanha há anos, te conhece e vocês tem afinidade.
    Converse e sinta como a Dra Mirna encara o assunto PN, veja como a gravidez evolui porque as vezes achamos que será de um jeito e no fim é de outro (lembre da minha saga com a pressão alta, nem sei se na hora poderei ter o PN, dependo da minha pressão estar estável), se prepare pois podemos ter o melhor médico do mundo, mega humanizado e na hora do parto não rolar por bloqueio nosso...
    Se acalme, até 40 semanas tem chão, esse não é um assunto que é urgente e precisa ser resolvido já, pense e reflita... Tem muitas mulheres que trocam me GO depois das 30 semanas e conseguem parir com o GO novo, se sentem bem em relação à isso...
    Keep Calm amiga, vai dar certo....
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Dúvida cruel msm!!!
    Menina nem tenho idéia de que parto prefiro, minha irmã teve parto normal e sofreu muuuuuuuuuuuuuito ela não indica pra niguém, já outras q conhço tiveram problemas na cessaria,acho que é de mulher pra mulher msm!!!
    Fique com Deus e que sua decisão seja a melhor!
    Bjos

    Adicionei vc!

    www.maisque6.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Que situação hein, Fê? Acho que deve seguir o seu coração...
    Deixa ele te guiar. Eu também pretendo ter parto normal e mesmo antes de engravidar já fico com essa neura dos tantos partos cesáreas realizados sem necessidade. Mas enfim, pede orientação para Deus, Ele te dará uma resposta.
    Beijo!


    http://antesdopositivo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada por visitar o meu cantinho, ler e comentar sobre o que tenho a dizer!
Beijos de uma mamãe apaixonada!