Google+ Badge

sábado, 13 de junho de 2015

Relato de Parto 3 - O nascimento

Continuando...
A médica fez o toque, 8cm!
OITO? Mas a pouco estava em cinco, Glória a Deus!
Estou incrédula! Mas muito agradecida senhor!
A médica me perguntou, -Você vai querer anestesia? Estamos em quase 9cm...
Gente, eu fracassei, eu não aguentava mais, eu sentia como se fosse morrer! 
Então respondi, -Sim Dra. Pelo amor de Deus, eu não aguento mais sentir essa dor!
A anestesista não chegava nunca, não chegava nunca, e eu cada vez mais desesperada, tinha vontade de me atirar no chão, a enfermeira entre uma contração e outra colocou o acesso na minha veia, precisava hidratar para receber a anestesia, e assim foi feito...o tempo passando e nada da anestesista, fui para o chuveiro quente, quase arrancou meu couro, vi isso nas fotos, na hora não sentia nada, só um pouquiiiinho de alívio, as dores estavam me matando, elas aumentaram demais, minha médica pediu para me examinar,
-Fernanda a tua bolsa estourou! Por isso estás desesperada de dor!!! 
Ela estourou no chuveiro certamente...estava com 9cm, a anestesista chegou!
Iniciamos a anestesia, a contração veio bem na hora, vontade de sair correndo, mas eu não podia me mexer!
A anestesia depois de 20 minutos fez efeito e eu pude sorrir novamente!
As contratações vinham bem amenas, e tudo estava sendo preparado pra receber meu filho!
Meu marido nesse tempo inteiro que permaneceu no quarto esteve do meu lado, me massageando as costas, fazendo carinho, passando pano molhado na minha testa, filmando, tirando fotos! Ele foi demais!
Sete forças em sete contrações e ele veio!
Uma emoção jamais vivida antes, um amor instantâneo, um choro incontrolável de felicidade!
Ele estava lá, no meu colo, no meu peito, com reflexo de sucção, eu cheirei ele, um cheiro doce, uma pele maciiiiia, um calor gostoso, sensação mais que maravilhosa! Meu filho estava ali comigo! Apgar 9/10, pois nasceu tão calmo, tão calmo que não chorou, precisou ser estimulado, o marido chorava copiosamente, mas filmou tudo, filmou a chegada do nosso maior presente, nosso presente divino e mais, cortou o cordão umbilical!
Não vi quanto tempo ela esperou para fazer isso, mas acho que foi o suficiente pra ele receber os últimos volumes de sangue necessários, saiu a placenta, quis vê-la, marido tirou foto, levei pontos, não foram poucos, mas foi lacerado, não teve episio! 
Médica de plano de saúde, hospital de plano de saúde, não tinha levado fé, depois de tudo sou é muito fã da minha GO e não troco ela por nenhuma outra!
22/05/15 às 09:37 50cm 3,380kg, pela DUM 39+5 ou pela primeira usg 40+5 veio ao mundo meu amor maior! 
Minha razão de viver! Não sei como foi para outras mães, mas pra mim foi amor a primeira vista, ao primeiro toque! Um amor que só aumenta e de tão grande chega a doer!
Meu parto pra mim foi perfeito!
Aconteceu como tinha que acontecer!
Se Deus permitir ainda quero ter outro filho e desejo de todo coração que de novo seja normal, que seja no mínimo igual, tanto o TP como o pós!
Estou ótima! Estava ótima logo em seguida!
Não tenho nada para reclamar, só agradecer!
Orgulho de mim mesma!
Orgulho do meu marido, da minha família!
Eu consegui! Graças a Deus eu consegui!



O banho mais delicioso
O sorriso da anestesia

O momento mais lindo e emocionante da minha vida

Meu gordinho

No quarto

2 dias, indo embora!







Obrigada por terem lido até aqui!
Logo logo eu volto!
Agora eu preciso amar!
Beijos no coração e uma ótima hora para as mamães que estão para receber suas bênçãos nos braços pelos próximos dias ou semanas!

domingo, 7 de junho de 2015

Relato de Parto 2 - As dores

Continuando...
Era mais de meia-noite e eu pensei, sendo ou não sendo a hora, vou dar um jeito aqui na "máquina", até como uma maneira de me distrair, e assim fiz, tomei um banho bemmm demorado, lavei os cabelos, sequei com o secador, fiz as minhas unhas das mãos, depilei as pernas, fiz a sobrancelha, tudo isso dando pausas é claro, pois as dores não só continuavam regulares como aumentaram a intensidade! 
Mais de duas da manhã e eu tentei deitar, só tentei, pois eu me mexia de um lado para o outro inquieta de dor, ia para o chuveiro, banho quente, voltava pra cama molhada mesmo, a sorte é que fez uma semana de calor, pois aqui no sul é frio demaissss...
Minha cabeça a essas alturas já estava aceitando a ideia de levantarmos pela manhã e irmos ao hospital ver o que estava acontecendo, tive vontade de ligar pra minha GO, olhei no whats a última visualização havia sido as 02:40, pensei, coitada, não vou ligar, comecei a pensar na mala, a minha, o que faltava arrumar, eram 03:45 não aguentei mais e acordei o marido, -Amor, acorda, olha, acho que precisamos ir pro hospital, mas levanta com calma, devagar, não precisamos correr, vamos resolver tudo e sair...
Ele levantou e em seguida estávamos prontos! 
Nesse tempo de arrumação me alimentei, uma torrada e um copo de vitamina de banana, muitas dores vieram, me agachava com a esperança de passar, fazia movimentos como se estivesse sentada em uma bola, caminhava, rebolava e gemia muito!
04:40 saímos, no caminho muitas dores.
05:00 chegamos no hospital, eu estava a ponto de perder os sentidos, lembro de ter sido levada em uma cadeira de rodas e na triagem ter ficado sozinha sem o marido, muitas dores vieram, e o toque precisava ser feito, pressão ok, toque, 5 cm!
CINCO? em voz alta agradeci muito a Deus! Eu não estava acreditando!
Me levaram para a sala de pré parto, lá aguardei meu marido dar entrada na internação e a minha médica chegar, o próprio hospital ligou urgentemente, e ela em menos de uma hora estava lá, inclusive chegou no quarto antes do marido... Nesse meio tempo de espera tudo passou a se tornar insuportável e eu gemia e gritava muito alto de dor, me agachava, sentava no vaso sanitário, fazia o número 1, fazia o número 2, e nada de ninguém chegar!
A médica chegou e precisava fazer o toque, pra mim era terrível deitar, mas assim fiz pro toque acontecer...

sexta-feira, 5 de junho de 2015

Relato de Parto 1 - A indução

Finalmente o blog fará jus ao nome que tem.
Finalmente me tornei mãe.
Tantas coisas pra escrever...antes o relato!

Tudo começou no dia 19/05/15, terça-feira às 18:30, consulta semanal, mal sabia que seria a última.
Nela minha médica explicou que existia um tipo de indução que poderíamos fazer para tentarmos iniciar o trabalho de parto!
Descolamento de membranas, nunca tinha ouvido falar, não seria 100% garantido, aliás ela me deu 60% de chances de dar certo, devido ao meu colo estar médio e por estar com apenas 1cm de dilatação, o ideal seria estar fino e com no mínimo 2, 3 cm, o tempo para tudo começar a acontecer era de 48h e se não entrasse em TP nesse tempo, dificilmente daria certo...então os planos seriam outros...eu deveria fazer um exame chamado "MAP" no domingo, pra ver como estava tudo por dentro, estando tudo bem aguardaríamos até a quinta-feira 28/05/15 para fazermos a indução no hospital, com soro, ocitocina, estourando bolsa, por último cesárea!
Na consulta de terça eu aceitei tentarmos com o descolamento, pensem em dor, sério, quase chutei a cara da minha GO kkkk, é algo simples, no exame de toque ela insere mais profundamente o dedo ou dedos e faz o descolamento, tudo feito fui pra casa rezando muito pra dar certo.
Passou o dia da consulta, chegou a quarta dia 20/05/15, comecei a perceber o tão famoso tampão mucoso, não me empolguei pois imaginei que fosse só por causa da "invasão" feita no dia anterior...chegou a quinta dia 21/05/15 e percebi mais e mais tampão, muito tampão, e a hora que completava 48 chegou...18:30, prazo máximo para entrar em TP, e nada, absolutamente nada havia acontecido.
Mandei um whats pra minha GO dizendo, -Poxa Dra. Mirna, não deu né?! E uma carinha de choro...
Ela respondeu:
-Calma, hoje assisti um parto, amanhã induzirei outro, quando um vem os outros vem atrás!
Fiquei tranquila e desencanei...
Na mesma quinta-feira 21/05, às 22:15, meu marido chega em casa do futebol e comento com ele, -Amor estou com uma dorzinha, acho que pode ser contração.
Ele se empolgou e questionou,  -Será? Será que chegou a hora?
E eu calma dizia, -Não sei amor é tudo novo pra mim...vamos começar a contar? Vamos fazer uma tabela?
E com a ajuda dele começamos a contar, pra minha surpresa, estavam de 5 em 5 minutos, com duração de 40/60 segundos...
Por duas horas ficou assim...e então paramos de contar e disse pra ele ir dormir, afinal tínhamos que trabalhar no outro dia, e assim ele fez... E eu? Eu continuei a sentir aquelas cólicas que iam e vinham, iam e vinham...